Archive for the ‘Saque’ Category

Livro Bebidas  Alcoólicas Ciência e Tecnologia

25 de julho de 2018

2018-07-25-Livro Bebidas Alcóolicas Ciência e Tecnologia

Para quem gosta e quer conhecer ainda mais o universo das bebidas sugiro a leitura do livro Bebidas Alcoólicas Ciência e Tecnologia de Waldemar Gastoni Venturini Filho da editora Blucher.  Este livro faz parte da Série Bebidas (Volume 1 – Bebidas alcoólicas: ciência e tecnologia; Volume 2 – Bebidas não alcoólicas: ciência e tecnologia; Volume 3 – Indústria de bebidas: inovação, gestão e produção), que foi escrita por 147 autores brasileiros e estrangeiros. Além dos autores brasileiros, participaram desta série especialistas da Costa Rica, Cuba, México, Peru, Uruguai, Irlanda, Portugal e República Tcheca.

O Volume 1, com 575 páginas tem 28 capítulos sobre bebidas alcoólicas e foi dividido em quatro partes: I) Bebidas fermentadas; II) Bebidas destiladas; III) Bebidas retificadas; IV) Bebidas obtidas por misturas. Neste volume, o leitor encontrará três capítulos sobre cachaça, três sobre cerveja, cinco sobre vinho e três sobre bebidas alcoólicas indígenas, entre outros. Dez de seus capítulos são dedicados às bebidas alcoólicas derivadas da uva.

Pela abrangência dos conteúdos e pela qualidade dos capítulos redigidos por especialistas de cada área, o leitor tem em suas mãos o que de melhor há no mercado editorial brasileiro na área da ciência e tecnologia de bebidas.

Anúncios

Novo Ilha das Flores

20 de julho de 2018

2018-07-20-Novo Ilha das Flores

Sucesso na cidade desde 1991, o icônico bar Ilha das Flores acaba de reabrir com ambiente totalmente repaginado. Após passar por uma extensa reforma, a casa reaparece inspirada na original Ilha das Flores localizada no arquipélago dos Açores. Com predomínio das cores azul e branco, o espaço é dividido entre salão, varanda e calçada.

O cardápio ganhou novidades do chef Francisco Pinheiro, que já trabalhou ao lado de grandes nomes como Alex Atala e Laurent Suaudeau, além de ter sido chef de cozinha do restaurante Attimo – que ganhou 1 estrela Michelin sob sua gestão. Recentemente, ficou conhecido por sua participação no programa MasterChef da Band.

As receitas aparecem valorizando os ingredientes, prezando pelo frescor e origem dos alimentos. Para começar, Coxinha de frango artesanal e Polenta cremosa na pedra com ragu de linguiça artesanal além de muitas outras porções para compartilhar.

A carta de drinks foi elaborada pelo premiado Henrique Medeiros, que já comandou o bar de casas como D.O.M e Kinoshita. Vale provar o De Cresci Martini com gin Tanquerey e abacaxi flambado e o Dual Drink – Ketel One Vodka, Cointreau e suco de maçã.

ILHA DAS FLORES – Rua dos Curumins, nº 5. – Tel: 3031-5644.

www.ilhadasflores.com.br

Izakaya Toki

2 de julho de 2018

2018-07-02-Izakaya Toki

Semana passada fui conhecer o Izakaya Toki em Pinheiros. Izakaya é um bar de clima informal onde os japoneses se encontram para petiscar, tomar uma boa bebida e conversar e o nome Toki significa “tempo” em japonês.

Para começar pedi o Kombucha Spritz (Kombucha, aperol, campari e espumante (R$31) e para acompanhar uma entrada o bun, pão chinês no vapor, porção individual, que ganha recheio de Barriga de porco, tarê, pepino e sriracha mayo (R$15).

Outro drink que vale a pena experimentar é o Yuzu Highball (Bourbon, xarope de yuzu e club soda (R$27) que foi muito bem com o karaague, sobrecoxa de frango empanada, tempero asiático e sriracha mayo (R$ 19).

O Toki tem ambiente moderno com bar, cozinha aberta para o salão principal e um grande balcão onde dá para tomar drinques e solicitar uma refeição.

O cardápio apresenta receitas tradicionais japonesas inspirados em pratos do dia a dia descobertos pelos sócios Arthur Seitsugo e Renato Issatugo nos períodos em que moraram no Japão.

Há também uma carta elaborada pela sommelière de saquês Sônia Yamane, vendidos em dose ou garrafas. Na seção de cervejas, duas japonesas: Kirin Ichiban  ou Orion.

Izakaya Toki – Rua Artur de Azevedo, 986, Pinheiros, São Paulo – Telefone: 3061-2349

Drinks no TATÁ Sushi

8 de novembro de 2017

2017-11-08-Drinks no TATÁ Sushi

Não é sempre que a gente consegue juntar trabalho com prazer. Trabalho de informar e prazer de degustar bons drinks criados pela união de dois amigos. O primeiro é o Luizinho Hirata dono do TATÁ Sushi um dos melhores restaurantes japoneses de São Paulo e Zulu um dos mixologista mais competentes do Brasil.

Luizinho fez uma reforma no restaurante e criou uma área de bar muito legal que está com uma excelente seleção de sakes e de drinks by Zulu.  Alem dos clássicos que não podem faltar ele criou seis drinks, quatro deles com sakês. Vale a pena experimentar o Brasil Japão (Sakê, Cachaça, Néctar Yozu, Mel e Purê de Abacaxi – R$ 31), o Kashu San leva Sakê, Bourbon, Caju, Limão e Caju Seco (R$ 28) e é muito interessante por conta do contraste entre o sakê e o Bourbon. Não deixe de experimentar o Banzeiro (Cachaça, Vinho tinto, Xarope de balsamo e espuma cítrica – R$ 26). Outro ponto positivo do cardápio de bar é a variedade de petiscos que combina muito bem com os drinks.

TATÁ Sushi – Rua João Cachoeira, 278 – Itaim Bibi – Tel: 30278-2006

Frank Bar lança nova carta de drinks

15 de setembro de 2017

Parece muito mais tempo mas o Frank Bar que fica ao lado da recepção do Hotel Maksoud Plaza só tem dois anos de funcionamento,  e agora lança mais uma carta de drinks criados pelo bartender Spencer Amereno  um dos melhores representantes da coquetelaria brasileira atual.

Depois de meses de pesquisas e testes a carta 2017/2018 traz 20 receitas, sendo 17 exclusivos. Eles estão divididos em quatro seções.

Slide1

A  primeira e maior  seção  Simulacrum tem metade dos drinks e  é  focada  em  grandes  ícones  da  coquetelaria,  mas  vai contra  a  mentalidade  de  que  o  drinque  deve  seguir  a  receita  à  risca.  É  uma ótima viagem para quem quer viajar no tempo e entender o clima de quando e onde um drinque foi criado. Neste  segmento  são  citadas  histórias  de  grandes  nomes  como  Jerry  Thomas,  que  teve enorme influência no século XIX e chamava muita atenção fazendo malabarismo com os utensílios do bar, usando abotoaduras, colares e anéis de diamantes. Ele lançou o Bar-Tender´s Guide em 1862 e trouxe pela primeira vez a receita  de um “cock-tail”. Baseado em Thomas foi  criado  o  ‘Improved  Whiskey  Cocktail’,  com  uma  mistura  de Bourbon Woodford Reserve, tintura de absinto, estragão mexicano, folha de pitanga, charuto e Jerry Thomas Own Decanter Bitters.

Outros influenciadores que também aparecem são Harry Johnson, russo que venceu como um dos cinco melhores e mais científicos bartenders da época em New Orleans; Emilio “Maragato” Gonzalez, espanhol que migrou para Cuba e trabalhou no famoso El Floridita; Harry Macelhone, determinante na coquetelaria do começo do século XX e conhecido por seu trabalho no Harry´s New York Bar;  Santiago Policastro, considerado pai de todos os barmen latino-americanos;  Don The Beachcomber, grande responsável pelo início do tiki-craze;  Jorge Gasparó, que publicou o Guia Prático do Bartender, em que aparece pela primeira vez a tequila como base para uma mistura;  Kazuo Uyeda, o inventor do hard shake e mestre da coquetelaria japonesa; e Harry Craddock, o último a ter feito um drinque antes da Prohibition em 1920 e inspiração para dois drinques do Frank  Bar:  ‘(Dry)  Alaska’  e  ‘Chrysanthemum’  feitos  à  base  de  gim  e  vermute, respectivamente.

 

Errata Maksoud

Na segunda parte do cardápio  a Stratum trata-se de um complemento da parte anterior, mas não é focada no autor e sim  no  drinque  como  influência.  São  coquetéis  pouco  populares,  quase esquecidos, e que precisam ser trazidos de volta, pois suas receitas têm potencial para se adequar ao paladar moderno.

Há três variações a serem experimentadas o  Ambrosia que leva Poire Williams Eua de Vie, Havana Club 7, marmelada de laranja vermelha com sour beer, Espumante  Brut e  CO²;  o Mamie  Taylor e o Fernet Cocktail, com um perfil de baunilha, amargo e resinoso.

Slide3.JPG

A terceira parte é a Circumlocution. São drinques já bastante consumidos e podem ser difíceis para se fazer uma nova versão, mas existe criatividade para tudo, ainda mais nas mãos de Spencer. Aqui  temos  o Maverick Negroni,  feito  com  Gin,  Fernando  de  Castilla  Classic  Manzanilla,  chocolate  bitters,  Amaro Lucano, óleo de castanha do pará e sal;  o Aperol Soyer Au Champanhe; o Sangre y Humo,  um  Bloody  Mary  mais  que  renovado;  e  o  Non  Compos  Mentis,  uma  nova   versão do White Russian.

Slide4Para fecha o cardápio a quarta seção chamada Opus é composta pelas obras de Spencer e tem tudo a ver com  a  contemporaneidade.  Ataraxia é  um  drinque  defumado,  cítrico,  levemente frutado e doce à base de Evan Williams Black; o ‘A Smash’, composto por Gin Beefeater, Sencha Noily Prat, folhas de aipo, hortelã bicolor, chutney de manga, limão siciliano  e  puxuri;  e  o  ‘Nahua  Cooler’,  que  tem  aroma  de  lúpulo,  é refrescante, lático e leva tequila.  Todos os drinks tem preço único de R$ 35,00.

Frank Bar – Maksoud Plaza Hotel  – Rua São Carlos do Pinhal, 424

 

Portal Difford’s Guide

15 de março de 2017

2017-03-15-Portal Diffords Guide

Simon Difford, um dos mais renomados e respeitados especialistas em coquetelaria no mundo, está no Brasil para lançar sua plataforma internacional sobre o universo de cocktails o Difford’s Guide.  O projeto que já possui sites nas línguas inglesa e grega, agora terá um domínio em português e contará com textos traduzidos e conteúdos exclusivos produzidos por profissionais do Brasil.

A proposta do site, que já ganhou o prêmio de melhor publicação sobre coquetelaria no Tales of Cocktails, é oferecer aos consumidores mais exigentes informações detalhadas para ajuda-los a ter as melhores experiências que envolvam o universo da coquetelaria, por meio de produção de conteúdo (artigos, guias, eventos, promoções), e experiências offline (degustações, harmonizações, visitas guiadas, clube de fidelidade e outros). Algo inédito no Brasil.

A idéia é oferecer ao Brasil uma plataforma de experiências exclusivas que fomente a coquetelaria no país. O site brasileiro lançado em março, já oferece mais de duas mil receitas traduzidas, incluindo criações do próprio Simon, além de histórias de coquetéis, entrevistas com bartenders e grandes personalidades. Confira o conteúdo em: www.diffordsguide.com

Charutos – O mapa da harmonização de charutos e bebidas

11 de setembro de 2015

Mapa da Harmonização Charutos e Bebidas

Muitas vezes sou questionado sobre as bebidas que harmonizam melhor com o charuto. Qual é a bebida ideal? Ela não existe, cada combinação é única e diferenciada. Mas para ajudar um pouco  resolvi escrever este texto usando como base a classificação da WSET – Wine Spirits Education Trust de Londres, maior escola de vinhos e destilados do mundo  para entender o universo das bebidas com álcool.

FERMENTADOS

– Vinhos – Nesta categoria temos espumantes, brancos, roses, tintos e de sobremesa. O charuto vai bem com alguns tipos de espumantes, principalmente os que tem acidez elevada como o champagne. Brancos, Roses e Tintos são mais difíceis de harmonizar pois tem mais complexidade e podem ser ofuscados pelo charuto. Na categoria de sobremesa temos os de colheita tardia e os fortificados como Porto, Madeira e Jerez. Todos eles vão muito bem.

– Cervejas – Podemos dividir as cervejas em duas grandes famílias, as Lagers que são cervejas de baixa fermentação e as Ales que são de alta fermentação. Normalmente por sua complexidade as Ales vão melhor com charutos. Procure cervejas com um teor alcoólico mais elevado e não deixe de provar as Rauchbier e cervejas que passam por barris.

– Saque e Cidra – São duas bebidas que não se tem muitas informações sobre harmonização.

DESTILADOS

– Gin e Vodka – Por serem destilados brancos e saborizado no caso do Gin fica difícil o charuto não sobressair.

– Cachaça, Rum e Tequila – São destilados que tem duas versões, branca e envelhecida.  A versão envelhecida destas três bebidas vai muito bem com os charutos.

– Brandy – É uma categoria muito grande que inclui Cognac, Armagnac, Brandy de Jerez, Aguardente Vinica, Pisco, Grappa, Bagaceira. São várias possibilidade de combinação

– Whisky – Outra categoria que possibilita muitas opções. Temos o Blended Whisky, o Single Malt o Tennessee Whiskey e o Bourbon.

BEBIDAS COMPOSTAS

– Licores – Desde o licor da vovó até o mais elaborado podem combinar muito bem. Tome cuidado com a quantidade de açúcar que pode superar o charuto.

– Amaros – Nesta categoria temos Bitters e Vermutes. Os dois são produzidos com cascas, ervas e sementes. Nos Bitters a base é álcool neutro e nos Vermutes o Vinho. Pelo seu margor pode também ser uma boa opção.

Fora das bebidas alcoólicas, fermentados, destilados e bebidas compostas outras duas boas opções são os chás e cafés. Mas isso é assunto para um próximo artigo. Aproveite suas harmonizações.

Drinks – 3 X Sake

11 de maio de 2015

Drinks - Sake Jun Daiti

São raras as possibilidades de provar drinks com Sake e quando aparecem tem que aproveitar. O La Bodeguita, casa que fica na Alameda Tietê, 360 está oferecendo três drinks com o o Sake Jun Daiti harmonizando com as tradicionais tapas espanholas.

Os drinks são o Jun Daiti Cranberry, , que junta sake, suco de cranberry e limão siciliano, o Jun Daiti Ginger que tem sake, xarope de gengibre, suco de limão Taiti, uva thompson e manjericão na receita (na minha opinião o melhor dos três), e Jun Daiti Tea, preparado com xarope de cardamomo, suco de limão siciliano e chá de camomila.

Dependendo do horário ainda dá para aproveitar o parklet em frente ao bar. A iniciativa patrocinada pelo Sake é uma vaga de estacionamento em frente à casa totalmente transformada em uma área com bancos, mesas, ombrelones, fontes para recarga de aparelhos celulares movidas à energia solar.

La Bodeguita, –  Al. Tietê, 360 – Tel: 2691-3557

Sake – Hakushika Weekend

4 de dezembro de 2014

Diversos - Sake Weekend

Um final de semana para divulgar o saquê. Esta é a proposta do 1º Sake Hakushika Weekend, que oferece um prato especial + degustação de saquê premium + livro Guia Prático de Saquê, do autor brasileiro Celso Ishiy. O evento vai acontecer em  5 restaurantes neste final de semana de 5 a 7 de dezembro. Os pratos serão preparados no dia e cada restaurante vai estabelecer o preço do combo.

A Hakushika é a principal marca de saquê premium no Brasil e neste ano completa 20 anos de importação pela Tradbras, especializada em trazer bebidas japonesas de alto padrão. O objetivo do evento é ampliar o acesso para um tipo de saquê que pouca gente ainda conhece a versão premium, que pode ser consumida pura.

Um dos pontos que me chamou a atenção neste evento é que não só vai ter comida e bebida. Para que a informação seja completa, o combo inclui ainda o recém-lançado Guia Prático de Saquê, que promete facilitar a vida de quem está dando os primeiros passos no fascinante universo do saquê. No livro estão respostas para perguntas como: bebe-se saquê com sal? Existe mais de um tipo de saquê? É melhor quente ou gelado? Por que se toma a bebida em copo quadrado? Com quais tipos de comida harmoniza? É verdade que não dá ressaca?

1º Sake Hakushika Weekend

Kosushi Itaim – Rua Viradouro, 139 – Itaim Bibi, São Paulo

Kame Kami – R. Angelina Maffei Vita, 493 – Jardim Europa, São Paulo  

Restaurante Tottori – Barueri – Av. Copacabana, 148 

Little Tokyo – São Caetano do Sul – Alameda Terracota, 545,

Kabuto Restaurante – Belo Horizonte – R. Pium-i, 736 – Carmo, Belo Horizonte – MG

 

Livro – Guia Prático do Saquê

25 de setembro de 2014

Livro - Guia Pratico Saquê

O Saquê está em alta, este é o segundo livro que comento este mês sobre o assunto e gostei muito do que vi. Simples, didâtico e acima de tudo barato (R$ 24,90) o livro de Celso Ishiy, sommelier de saquê e um dos principais especialistas no assunto no Brasil é uma ótima opção para introduzir o assunto pela forma simples e direta que aborda o assunto.

O livro aborda em onze capítulos os principais tópicos sobre a bebida. As origens e lendas, os métodos de produção, os principais tipos, as regiões produtoras, o melhor jeito de se consumir, entre outros assuntos.

O livro vem em boa hora pois atualmente o mercado brasileiro já conta com  70 rótulos e vem crescendo. Para se ter uma ideia do tamanho deste mercado existem 1.800 fabricantes de saquê apenas no Japão que produzem cerca de 40.000 rótulos.

Guia Prático do Saquê

Formato: 12 X 21 cm

Páginas: 96

Preço sugerido: R$24,90

Livro – Izakaya dois livros em um

21 de agosto de 2014

Diversos - Livro Izakaya

Acabei de receber o livro Izakaya de Jo Takahashi editado pela Melhoramentos. Para quem não está familiarizado com o termo Izakaya é o nome do boteco japonês onde se toma saquê acompanhado de petiscos.  Eles surgiram no período Edo, a era pré-moderna do Japão onde era comum os comerciantes experimentarem o saquê que iam comprar. Ai alguém teve a brilhante ideia de servir petiscos para acompanhar estas degustações e o costume pegou e ficou até os dias de hoje.

No livro Jo Takahashi que é arquiteto,  produtor cultural e trabalhou por 30 anos na Fundação Japão conta a história dos Izakayas no Japão e apresenta suas versões brasileiras. Alem disso o livro tem varias receitas de petiscos como o Takoyaki (Bolinho de polvo), Ika no Shôgayaki (lula ao gengibre) entre outras.

A diagramação e ilustrações são um capítulo a parte, foram feitas pela filha do Jo, Mika Takahashi e são belíssimas. Mas a parte mais legal é que boa parte do livro tem tudo que você precisa saber sobre Saque e não tinha ninguém para te explicar. Você compra um livro de bar e junto vem um de saquê. Para quem gosta de bar e bebidas é um presentão.

Drink – Bar da Dona Onça lança drink Jun Daiti Soda para o verão

7 de novembro de 2013

(Foto: Rodrigo Capote)

Amanhã a chef Janaína Rueda lança o drink de verão do Bar da Dona Onça: Jun Daiti,Soda, que foi criado pra ser servido em jarra e que combina sake, refrigerante de limão, pedaços de abacaxi e muito gelo. A jarra serve quatro pessoas.

O drink entra no cardápio do bar por combinar com o verão e ser servido em jarra uma das novas tendências na coquetelaria mundial. O bar da Dona Onça vai servir Jun Daiti Soda também nas versões com morango e com kiwi. Para acompanhar o drink, a chef recomenda petiscos como os croquetes de carne de panela, a couve flor à milanesa e o bolinho de arroz carnaroli aquarello com açafrão da terra, outra novidade do cardápio do bar.

O sake Jun Daiti é produzido na Califórnia, pasteurizado e engarrafado no Brasil e por isso é considerado um produto nacional. De sabor suave, tem teor alcoólico de 14%. As garrafas com 670 ml estão à venda nos principais supermercados de todo o Brasil pelo valor sugerido de R$ 21,90 cada.

Jun Daiti Soda

Ingredientes:

240 ml de Sake Jun Daiti

200 gramas de abacaxi cortado e descascado

160 ml de refrigerante de limão

Gelo

Jarra de 1 litro

Modo de preparo:

Coloque na jarra o abacaxi e macere. Acrescente o gelo, o sake e a soda e misture.

Pode ser feito com outras frutas, como morango ou kiwi.

 

Saquê do Iglu chega ao Brasil

18 de maio de 2013

iglu

O mercado de saquê no Brasil está ganhando um concorrente peso pesado. É o Taisetsu, um saquê premium produzido dentro de um iglu na cidade de Asahikawa, na província de Hokkaido, no extremo norte do Japão. A fabricante Takasago Shuzo é a única do mundo a utilizar esta forma de produção. A garrafa  de Taisetsu Ice Dome de 300 ml custa em média R$ 60,00 e a de 720 ml R$ 120.

O interior do iglu garante uma temperatura baixa e constante de -2 ºC, com 90% de umidade, o que previne a oxidação do saquê e a perda de aromas por evaporação. O Saquê do Iglu pertence à categoria junmai ginjyo, o que significa que não tem adição de álcool etílico e seu grão de arroz tem um polimento de 50%, garantindo a pureza e qualidade superior da bebida. É um saquê seco e com um sabor suave e distinto, que o torna excelente para harmonizar com peixes grelhados e sashimi.

TAIiSETSU300 okA produção de saquê acontece em um tipo de iglu chamado Himuro. Dentro do iglu, sacos de tecido cheios de mosto (moromi) são pendurados e, sem o uso de qualquer pressão ou contato com as mãos, gotas de saquê são recolhidas uma a uma. Este método teve início há 20 anos com a colaboração do laboratório Kokawa da Universidade Tokai, em Hokkaido.

Graças a essa condição natural e única, é possível manter um alto padrão no controle de qualidade, pois as gotas de saquê podem ser coletadas à noite sem pressa ou compressão. A produtora Takasago Shuzo acredita que é um privilégio fornecer saquê do iglu de Asahikawa e se orgulha de dar continuidade a este método. Este processo só é possível em lugares particularmente frios como Asahikawa, onde a temperatura atinge -15 ºC. São necessárias duas noites para finalizar o iglu de 10 metros de diâmetro, 2,7 metros de altura e 15cm de espessura.

A importação do Saquê do Iglu Taisetsu para o Brasil é feita pela Tradbras e ele pode ser encontrada no Marukai na Rua Galvão Bueno, 34.