Posts Tagged ‘Wine’

Vinho – Um prato, três vinhos no La Casserole

17 de agosto de 2017

2017-08-17-Um prato, tres vinhos no La Casserole1

Começa hoje e vai até dia 31 de agosto uma proposta bem interessante no restaurante La Casserole,  provar um prato acompanhado por três vinhos diferentes. Os rótulos selecionados, todos da região de Bordeaux, podem ser harmonizados com receitas francesas como Cassoulet, Boeuf Bourguignon ou Cromesquis, espécie de croquete vegetariano com brie, cogumelos e azeite de trufa.

Os vinhos destacados por Tom, sommelier do restaurante há mais de dez anos, serão servidos ao mesmo tempo para que o cliente possa eleger sua harmonização preferida.

O Chateau Jamin, produzido entre os rios Garonne e Dordogne, é um vinho levemente encorpado, com aromas terrosos e com intensidade na boca. Já o Chateau Beaumont, produzido em Côtes de Blaye, é um vinho fresco, de corpo médio e com aromas de frutas vermelhas ácidas. O Plaisir de Siaurac, Lalande de Pomerol, tem percepção frutada e taninos mais arredondados e grande intensidade de boca.

A ideia é proporcionar esta experiência sensorial ao cliente que em um único jantar poderá degustar diferentes vinhos. O prato escolhido acompanhado por três taças de vinho (125ml cada) sai R$ 134 por pessoa. Esse menu estará disponível no jantar de terça a sexta-feira no restaurante.

La Casserole – Largo do Arouche, 346 – Centro – SP -| Tel: (11) 3331-6283

Vinho- (evino) lança Selva

3 de agosto de 2017

2017-08-03-Vinho-Evino lança Selva

Um dos maiores e-commerce de vinho do país, a (evino) criada em abril de 2013 acaba de lançar sua coleção própria. Para este projeto eles contaram com os vinhos da Lidio Carraro Vinícola Boutique de Bento Gonçalves e identidade visual assinada pelo grafiteiro Sliks.

A coleção Selva apresenta dois vinhos: Cabernet Sauvignon e Espumante Brut, ambos em edição limitada, com 6 mil garrafas de cada rótulo. O Selva Cabernet Sauvignon (R$ 39,90) possui um aroma frutado, de especiarias, chocolate e um paladar encorpado, com taninos maduros. Já o Selva Espumante Brut (R$ 39,90), tem cremosidade e aroma frutado, fino e delicado, de paladar seco e agradável em boca. Na compra das duas garrafas o valor total é de R$ 74,90 no site www.evino.com.br

Vinho – Supra com nova carta de vinhos

3 de fevereiro de 2015

Vinho - Supra

O nome de Mauro Maia é bastante conhecido aqui em São Paulo quando o assunto é massa. Com uma longa experiência ele voltou ao cenário gastronômico recentemente com a reabertura do Supra Di Mauro Maia na Rua Leopoldo Couto de Magalhães no Itaim. O antigo Supra fechou cinco anos atrás e deixou vários fãs da boa massa inconformados.

Mauro resgatou receitas antigas estão de volta como o tradicional Agnolotti dal Plin in Salsa di Arrosto (Massa Piemontesa recheada com carnes, verduras e ervas ao molho assado) R$ 48 alem de outras novidades que podem ser pedidas no cardápio ou levadas pra casa pois estão a venda no pequeno empório montado dentro do restaurante.

Na parte de vinhos a novidade fica por conta da nova carta elaborada por André “Deco” Rossi graduado pelo tradicional instituto inglês WSET – Wine Spirits Education Trust. Deco ampliou a carta que já tinha vinhos italianos de importação própria do Supra e agora conta com 130 rótulos de 9 paises.

São ótimos vinhos com preços justos (coisa rara de ser ver hoje em dia nos restaurantes de SP). Depois de ver a carta quatro rótulos me chamaram a atenção, dois brancos da Grêcia e Eslovênia e dois tintos do Marrocos e Hungria.

Os brancos são o Simcic Marjan Rebula 2011 da Eslovênia produzido com a variedade Rebula ou Ribolla Gialla e o grego Domaine Sigalas Assyrtico Santorini 2013  produzido com a uva Assyrtico. No tinto destaque para o Tandem Syrah 2010 produzido no Marrocos. Vou ter que voltar lá para experimentar.

Supra di Mauro Maia – Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 681 – Itaim Bibi – Tel: (11) 3071 4473

Vinho – Colchagua de Chile

14 de outubro de 2014

Vinho - Vinhas de Colchagua

Você sabe onde fica Colchagua? Este vale que fica ao sul de Santiago é conhecido por suas belas colinas plantadas com vinhedos antigos e vinícolas modernas que fazem um contraponto entre o passado e o futuro da viti-vinicultura chilena.

Ontem, pela primeira vez no Brasil, a Associação Viñas de Colchagua realizou seu primeiro evento com 13 vinicolas presentes. O motivo? O Brasil ocupa a 5ª posição no ranking de exportações de vinhos chileno e tem quase metade do mercado de vinhos importados no Brasil fechando o primeiro semestre deste ano com 48,08% de participação em volume e 40,33% em valor segundo dados da International Consulting.

Bisquertt, Casa Silva, Lapostolle, Los Vascos, Luis Felipe Edwards, Montes, MontGras, Santa Cruz, Santa Helena, Santa Rita, Siegel, Viña Ventisquero e Viu Manent foram as vinícolas que estiveram presentes  apresentando seus vinhos das variedades Cabernet Sauvignon, Merlot, Carmenere, Malbec e Syrah alem de brancos e roses de altíssima qualidade.

Alem dos clássicos como Viu Manent, Lapostolle e Montes Alpha tive a oportunidade de provar ótimos vinhos que recomendo a todos como o Doña Bernarda 2009 produzido por Luiz Felipe Edwards que tem 58% de Cabernet Sauvignon, 15% de Syrah, 22% de Carmenere e 5% de Petit Verdot.  Outra agradável surpresa foi o Pehuén 2008 produzido pela Santa Rita com 90% de Carmenere e 10% de Syrah para finalizar não deixe de experimentar o Santa Cruz Reserva Especial Petit Verdot 2010.

Este evento foi uma excelente oportunidade para o publico presente conhecer um pouco mais sobre um terroir do Chile. Vamos torcer para que as outras regiões produtoras sigam este exemplo e em breve tenhamos outras degustações.

Diário de Viagem – Argentina – Mendoza 3/3

8 de agosto de 2014

Diario de Viagem - Wines of Argentina5

No começo do mês passado recebi um convite da Wines of Argentina para um tour por algumas das principais regiões produtoras de vinhos na Argentina. No terceiro dia de nossa visita saímos do hotel Park Hyatt, nossa sede em Mendoza e partimos para San Juan onde fica a Graffigna Wines uma bodega com 145 anos.

Em um tour guiado é possível conhecer a história de Santiago Graffigna um italiano que construiu a segunda vinícola da Argentina e foi o pioneiro em colocar etiquetas em suas garrafas. Atualmente a bodega exporta seus vinhos para mais de 20 países e pertence ao grupo Pernod Ricard. Dentre os vinhos degustados destaco o Graffigna Centenario Pinot Grigio 2013 um vinho simples de beber de uma variedade pouco conhecida na Argentina.

Outra vinícola que merece uma visita é a Catena Zapata um clássico em vinhos e um show de arquitetura. Sua Bodega lembra uma pirâmide asteca e talvez tenha sido uma das mais bonitas que já visitei. Seus vinhos dispensam comentários pois são objeto de desejo de todos aqueles que gostam deste liquido maravilhoso. O White Stones Chardonnay 2010 teve 95 pontos de Robert Parker e pode ser encontrado na importadora Mistral.

Neste dia também provamos o Ben Marco Torrontes 2013, produzido pelo Dominio del Plata, da competente Susana Balbo, o Pascual Toso Pedregal 2010, Piatelli Torrontes 2013 e Ruca Malen Petit Verdot 2011. Quem está acompanhando o diário deve estar sentindo falta dos Malbecs Argentinos. Este foi o grande desafio que me propus durante a viagem, encontrar outras variedades que estão indo muito bem na Argentina.

Para o jantar já de volta a Mendoza fica a dica do Restaurante Nadia OF que fica na Calle Chile, 894 e já foi premiado por vários anos como melhor restaurante da Argentina, seu menu degustação é espetacular.

Graffigna Wines –  www.graffignawines.com

Catena Zapata www.catenawines.com/pt

Restaurante Nadia OF – http://www.nadiaof.com/